Convide Paulo Azevedo (31) 9785-9005

Palestras Motivacionais, Vendas e Excelência na prestação de serviços. Sempre utilizando intervenções lúdicas (Mágicas e malabarismo) em suas apresentações.

Perdendo Clientes

<< Voltar

Em recente discussão sobre atendimento, eu e meu grupo de trabalho falávamos sobre como manter clientes sempre satisfeitos. Naquele momento, lembrei-me e contei a eles um caso que há pouco tempo aconteceu comigo. Na época precisava pagar uma conta a vencer em mais ou menos em uns quatros dias, e como eu iria fazer uma viagem e ficar uns dias fora, resolvi pagar a conta antes, então procurei um determinado banco para fazer tal pagamento. Cheguei dois minutos após o fechamento do banco, e somente depois de convencer o guarda a chamar alguém, é que me deixaram entrar. Fui para a segunda fase do atendimento onde uma moça acompanhou-me até a funcionária que iria me atender. Sentada e sem me olhar, tomou de minhas mãos o documento, exigindo-me o referido valor o qual em silêncio e sem reclamar lhe entreguei.

O tempo do atendimento, se é que podemos assim definir, durou aproximadamente uns cinco minutos, que pela má vontade da atendente, fizeram parecer o dobro, amarguei ali, calado o tempo em que fiquei esperando o término do procedimento e a cara fechada da caixa, fazia cada segundo parecer um minuto. Enquanto isso, a tal atendente sussurrava palavras ou maledicências inaudíveis, mas com certeza impropérios.
Durante este tempo fiquei de olho em uma cadeira a minha frente que continha uma bolsa e outros papéis, obviamente pertenciam à moça que me atendia, porém, de pé permaneci e em nenhum momento me senti convidado a sentar, por me julgar um cliente, do tal banco e merecedor da mínima cortesia.

Durante aqueles minutos me senti punido por estar pagando uma conta antecipada e ao receber de volta meu comprovante quitado e reconhecendo a indolência da moça para comigo, e vendo isso como um erro fatal para aquela organização, eu falei para aquela atendente:___ “Pessoas como você não gostam de clientes que pagam suas contas”. A resposta foi a mais surpreendente possível, e infiel aos bons propósitos de quem quer prestar bons serviços.

Sussurrando mais uma vez e de forma lamentável respondeu:___ “Não, eu não gosto é de quem chega atrasado”. Restou-me ir embora. Resolvi relatar este acontecimento para dizer que clientes infelizes não retornam. Nunca mais pretendo voltar naquele banco.
Sabemos que o mundo mudou, a tecnologia tomou conta de tudo. Hoje mal se pode conversar com alguém e não falar das constantes inovações tecnológicas que surgem quase que instantaneamente à nossa frente. Ficou até compreensível a idéia de que ao comprar um computador, ele estará defasado amanhã. Sendo assim, com tanta tecnologia à nossa disposição, temos de tomar cuidado, pois, algumas pessoas podem estar sendo arrastadas por esta onda gigantesca dos gigabits e lançadas na correnteza da imaginação virtual, que se em demasia, pode produzir irrealidades para nos induzir a pensar que máquina é a solução final que chegou para mantermos nossos clientes felizes.

É justamente neste ponto que chamo a atenção de todos, pode aqui estar o engano de muitos líderes, pois, ao contemplarem cegamente a irresistível tecnologia, podem perder a sensibilidade do tratamento humano.

Precisamos estar em constante estado de alerta, devemos estar atentos para perceber que a maior de todas as tecnologias inventada é a humana, essa sim, será fundamental para tudo acontecer de forma diferente, permanente e feliz. Saiba que a maior tecnologia já criada reside dentro de você, bem no seu interior e é movida pela sensibilidade que produz sensatez e lhe permite ouvir o que seu cliente deseja.

Cria-se neste relacionamento um atendimento que faz diferença, pois, invoca a fidelização não somente entre clientes e empresas, mas, entre seres humanos.

No grande palco do atendimento os atores somos nós, portanto, atue festejando quando estiver em cena, incorpore seu personagem e faça o mundo das soluções humanísticas aparecer diante do seu cliente. Seja feliz, viva feliz e trabalhe sempre feliz. Odiar seus clientes é odiar a você mesmo e inibir seu crescimento pessoal e profissional.    Não perca mais tempo, encontre as infinitas possibilidades e pratique essa grandeza de tecnologia que é você, e boas vendas! 

Paulo Azevedo – Consultor e Administrador de Empresas.

Galeria de fotos

Contato

Depoimentos

"Céu de brigadeiro sobre SP. Aproveitei o voo para degustar o livro presenteado pelo amigo Paulo Azevedo - Estratégias empresariais para pequenas e médias empresas - onde o mesmo em um dos capítulos, discorre sobre assunto muito importante... a qualidade de nossos serviços pode, de fato, ser sentida pelos nossos clientes? O desafio de transformar o invisível em algo tangível, no que diz respeito ao serviço prestado. Muito bom! Obrigado Paulo.".

Eduardo Cardoso
Bispo da Igreja Batista Getsemani

+ DEPOIMENTOS

Copyright © 2008 - 2015 Professor Paulo Azevedo